24.4.14

A escola protagonista -- como seria a sua escola ideal?

A escola protagonista inova em conteúdo, método e gestão, com o objetivo de desenvolver plenamente as potencialidades e descobertas de crianças e jovens, para que eles se tornem cidadãos autônomos, solidários e competentes.


A escola antiga é desinteressante, distante da realidade das crianças e jovens e não os prepara para a universidade, o trabalho ou para a vida. A escola protagonista se apropria e produz novas tecnologias educacionais, mudando os papeis dos alunos, que passam a ser o centro do processo de aprendizagem, e dos professores, que se transformam em mentores e enxergam o desenvolvimento educacional de forma muito mais ampla.


A escola antiga funciona como uma fábrica, padronizando comportamentos, atitudes e visões. A escola protagonista muda o espaço de aprendizagem e a turma enquanto escala, personalizando o processo de aprendizagem com a ajuda das novas tecnologias e de inteligência artificial. Ela reconhece e valoriza a complexidade humana, a diversidade e a singularidade, promovendo uma variedade de atividades, metodologias e ferramentas, e respeitando diferenças em necessidades, gostos e estilos. A escola protagonista inspira e desafia cada criança e jovem para que eles sejam protagonistas de suas jornadas pessoais de transformação, aprendendo e ensinando, em todos os lugares e a qualquer tempo.


A escola antiga apresenta o conhecimento compartimentalizado e aposta na memorização de fatos e dados. A escola protagonista abraça a complexidade do humano e da realidade com a educação interdimensional e projetos permeados pela transdisciplinaridade. Ela desenvolve as várias dimensões humanas (afetiva, corpórea, filosófica e racional), proporciona uma viagem de descoberta do si paralela à descoberta do mundo, levando o aluno a se reconhecer como agente transformador, que é transformado enquanto transforma.


A escola antiga prepara o aluno para testes. A escola protagonista avalia competências e habilidades das várias dimensões humanas, verificando se as crianças e jovens são capazes de mobilizar, interagir e reconstruir conhecimentos, aplicando-os em si e no mundo, de forma e em tempos adequados.


A escola antiga estimula o conformismo, a passividade e o imobilismo. A escola protagonista aposta na colaboração, no experimentalismo, na curiosidade e na criatividade para que ela própria se reinvente sempre. Ela não se distancia do bairro, da cidade ou do mundo. Ela está no mundo e o mundo está nela.


"A escola protagonista é a escola necessária para que cada jovem possa desenvolver, em sua trajetória biográfica, as promessas que trouxe consigo ao vir a este mundo e, igualmente, a escola que o Brasil necessita e requer para responder pró-ativamente aos imensos desafios que a história nos coloca." Antonio Carlos Gomes da Costa

(Inspirado nos pensamentos do Professor Antônio Carlos Gomes da Costa e na experiência com o GENTE -- gente.rioeduca.net)